2019 em revista: Em junho, a ‘corrida’ ao ESC 2020 e o JESC 2019 dominaram os assuntos
Créditos da imagem: Andres Putting

2019 em revista: Em junho, a ‘corrida’ ao ESC 2020 e o JESC 2019 dominaram os assuntos

26/12/2019 0 Por Bernardo Matias

Depois do Festival Eurovisão da Canção (ESC) em maio, o mês de junho foi um dos menos ‘movimentados’ do ano em termos eurovisivos. No entanto, não deixa de merecer destaque na rubrica 2019 em revista.

Logo no início do mês, surgiu a notícia de que Sarah McTernan revelara ter recebido ameaças na sequência da sua participação no ESC, em que ficou no último lugar da segunda semifinal com o tema 22.

Créditos da imagem: Andres Putting

Também existiram movimentações quanto ao ESC do ano que vem, com a cidade de Arnhem a juntar-se ao lote de interessadas em sediar o certame. Haia e Breda também demonstraram o seu interesse. As emissoras responsáveis remetiam o anúncio da cidade escolhida para agosto.

Entretanto, iam surgindo confirmações: Espanha e Geórgia fizeram saber que continuaria no ESC em 2020, ao passo que a Eslováquia revelou que se manteria ausente. De referir que na Finlândia a emissora YLE anunciou no sexto mês do ano que regressaria ao formato de candidaturas à participação, ao contrário do que sucedera nos anos anteriores.

Foi igualmente em junho que se conheceram os vencedores dos ESC Radio Awards deste ano, em que a melhor canção foi Arcade, de Duncan Laurence, que já vencera o ESC. O luso Conan Osíris foi considerado o sétimo melhor artista masculino.

Por cá, o Festival Eurovisão da Canção 2018 recebeu uma menção especial nos prémios M&P em Inovação em Media e começaram a ser anunciados os convidados do Eurovision Live Concert. Já na Suécia, a SVT comunicou qual seria a equipa nuclear responsável pelo Melodifestivalen 2020, dando início às preparações do seu certame de seleção para o ESC 2020.

No Festival Eurovisão da Canção Júnior (JESC) 2019, Montenegro anunciou nos primeiros dias de junho que não estaria a concurso, bem como Chipre, Croácia, Eslovénia, Grécia, Israel, Letónia, República Checa e Finlândia – cuja emissora YLE salientou que o concurso vai contra os seus princípios.

Finlândia recusa participar no JESC: “Temos um forte princípio de não colocar as crianças num concurso de adultos”

Pelo contrário, Arménia, Bielorrússia, Itália, Macedónia do Norte (que encetou o processo de seleção), Malta, Sérvia e Ucrânia anunciaram a permanência, enquanto na Holanda foram revelados os 12 candidatos a representar o país. Já nos últimos dias do mês de junho, Espanha fez o anúncio que já vinha a ser antecipado do regresso ao JESC em 2019.

Partilhar o artigo: