ESC adiado, sem público ou remotamente: Eurovisão explica inviabilidade das alternativas

ESC adiado, sem público ou remotamente: Eurovisão explica inviabilidade das alternativas

18/03/2020 0 Por Bernardo Matias

O Festival Eurovisão da Canção (ESC) 2020 foi cancelado, estando agora a ser discutida a possibilidade de em 2021 ser em Roterdão como planeado para este ano.

Segundo a imprensa internacional, terão chegado a ser equacionadas outras possibilidades, como o adiamento, evento sem público ou realizar o espetáculo remotamente. O site oficial do ESC esclareceu por que é que não foi seguida qualquer uma destas vias.

Passamos a transcrever os esclarecimentos:

Adiamento

– É provável que a atual situação na Europa continue incerta nos próximos meses e nesta fase não podemos garantir que conseguiríamos realizar um evento desta envergadura com tantos envolvidos mais tarde este ano. Um Festival numa altura posterior do ano também reduziria a quantidade de tempo que a emissora vencedora teria para preparar-se para a competição do próximo ano”.

 

ESC sem público

– Estamos a seguir cuidadosamente o conselho das autoridades relevantes para proteger a saúde e o bem-estar de todos os cidadãos. As restrições holandesas a ajuntamentos de grandes números de pessoas e restrições às viagens internacionais significam que realizar o evento, mesmo sem audiência, é impossível nesta altura”.

 

Eurovisão 2020 remota

– Está no ‘ADN’ do Festival Eurovisão da Canção juntar as delegações, artistas e fãs num local e dar uma plataforma igual a todos os artistas para competirem juntos no mesmo palco e com a mesma oportunidade de brilhar. Sentimos que sob as circunstâncias extremas que enfrentamos este ano, organizar o Festival Eurovisão da Canção de outra forma não se manteria em linha com os nossos valores e com a tradição do evento. O formato único do Festival Eurovisão da Canção como evento internacional ao vivo significa que não é possível identificar qualquer alternativa realista. Portanto, não tivemos outra hipótese que não cancelar o espetáculo”.

Partilhar o artigo: