Eurovisão 2021 à Vista: O perfil do Reino Unido e de James Newman

Eurovisão 2021 à Vista: O perfil do Reino Unido e de James Newman

06/05/2021 0 Por Bernardo Matias

Cada vez mais perto do evento, em mais uma parte da rubrica Eurovisão 2021 à Vista apresentamos o Reino Unido, assim como o seu representante no Festival Eurovisão da Canção (ESC) 2021 e o tema Embers. Como membro dos Big 5, o país está diretamente na final de dia 22 de maio.

 

Reino Unido na Eurovisão

Só à segunda edição, em 1957, é que a emissora BBC promoveu a estreia do Reino Unido no ESC. Desde então, continua a ser a emissora inscrita, e só falhou a participação numa ocasião.

Os primeiros anos do Reino Unido foram fortes: de 1957 a 1977 terminou sempre entre os nove primeiros. A estreia foi em 1957 com o sétimo lugar de Patricia Bredin a interpretar All. Naquelas duas primeiras duas décadas, surgiram vários clássicos do ESC, cortesia do Reino Unido.

É o caso de Puppet on a String, que em 1967 Sandie Shaw cantou para assegurar a primeira vitória britânica; ou de Congratulations, de Cliff Richard no ano seguinte que ficou em segundo lugar e serviu de mote para a comemoração dos 50 anos do ESC em 2005.

A segunda vitória do Reino Unido surgiu em 1969, na edição que terminou com quatro vencedores, graças ao tema Boom Bang-a-Bang de Lulu, sendo a terceira em 1976 com Brotherhood of Man e a canção Save Your Kisses for Me.

(Continua após o vídeo)

 

Apesar de em 1978 o Reino Unido ficar pela primeira vez fora dos dez primeiros lugares, a verdade é que os bons resultados continuaram e, até 1998, nunca mais as participações do país ficaram abaixo do décimo lugar. Nesse período, houve mais duas vitórias e diversas canções marcantes.

Em 1981, os Bucks Fizz ganharam com Making Your Mind Up. Em 1996, Gina G cantou Ooh Aah… Just a Little Bit e esteve na US Billboard Hot 100 apesar do oitavo lugar – só nos últimos dias é que outra canção eurovisiva o conseguiu (Arcade, vencedora de 2019 na voz de Duncan Laurence pelos Países Baixos).

A quinta e última vitória do Reino Unido no ESC surgiu em 1997 por Katrina & The Waves que interpretaram Love Shine a Light. Depois do segundo lugar de 1998, os resultados quebraram subitamente: só por mais duas vezes é que o país chegou ao top dez, com o terceiro lugar de 2002 e o quinto lugar de 2009.

Nas outras participações neste novo milénio, só por uma vez é que o Reino Unido foi além de 15.º, e neste período fez o seu pior resultado de sempre: em 2003, Jemini ficaram no último lugar sem pontos com o tema Cry Baby. Na altura, houve rumores de que o resultado esteve ligado à guerra do Iraque que o Reino Unido apoiou, e um dos membros dos Jemini surgeriram mesmo ter havido sabotagem, uma vez que o áudio dos monitores esteve desligado.

Já por oito vezes que o ESC foi no Reino Unido: em 1960, 1963, 1968 e 1977 foi em Londres (Inglaterra); em 1972 aconteceu em Edimburgo (Escócia); em 1974 a sede foi Brighton (Inglaterra); em 1982 a cidade visitada foi Harrogate (Inglaterra); e em 1998 o ESC parou em Birmingham (Reino Unido). O Reino Unido atribuiu o maior número de pontos à Irlanda: 323 em semifinais e finais e 252 em finais. Já a Irlanda foi quem mais pontuou o Reino Unido, com 252 pontos.

(Continua após o vídeo)

 

O representante e a canção: James Newman e Embers

No ano passado, James Newman foi escolhido internamente pela BBC para o ESC e, depois do cancelamento, foi reconduzido para este ano. Vai apresentar a canção Embers.

A carreira de James Newman arrancou verdadeiramente em 2013 quando foi um dos autores de Waiting All Night, um hit de Rudimental que lhe valeu o Brit Award for Single of the Year nos Brit Awards de 2014.

Esse êxito catapultou o irmão de John Newman, que participou em várias outras canções de artistas conceituados. Exemplo disso é Blame, cuja autoria James Newman assinou com o irmão e com Calvin Harris (cantada por John Newman) e que chegou ao 19.º lugar do US Bilboard Hot 100 Hot Dance/Electronic Songs.

De 2015 a 2020, James Newman lançou singles a solo e também com Armin van Buuren, Arno Cost, Don Diablo, Matoma e Night Safari, além de ser co-autor com créditos em vários temas de artistas de destaque. Em 2020 foi selecionado pela BBC para o ESC, sendo de novo a aposta para este ano após o cancelamento.

A canção que vai defender é Embers, um tema dance-pop simultaneamente romântico e energético, que visa passar a mensagem de que mesmo sem as pessoas se verem podem preocupar-se umas com as outras e manter a faísca acesa entre si.

(Continua após o vídeo)

 

Perfil do país (Reino Unido)

Emissora responsável: BBC
Chefe de delegação: Andrew Cartmell
Estreia: 1957; Patricia Bredin – All (resultado: Sétimo lugar)
Participações anteriores: 62
Melhor resultado: Cinco vitórias (1967: Sandie Shaw – Puppet on a String ; 1969: Lulu – Boom Bang-a-Bang ; 1976: Brotherhood of Man – Save Your Kisses for Me ; 1981: Bucks Fizz – Making Your Mind Up ; 1997: Katrina and the Waves – Love Shine a Light).
Pior resultado: 26.º lugar na final sem pontos em 2003 (Jemini – Cry Baby)
Anfitrião: Oito vezes (1960, 1963, 1968, 1972, 1977, 1982, 1998)
Concurso de seleção nacional: Seleção interna
Representante em 2021: James Newman – Embers

 

Perfil do representante (James Newman)

Nome: James Newman
Idade: 35 anos (nascido a 19 de outubro de 1985)
Nacionalidade: Britânica
Início de carreira: 2013
Álbuns de estúdio: Zero (primeiro EP: The Things We Do, de 2020)
Géneros: Pop
Outras notas: Ao longo da carreira, James Newman já colaborou com artistas de renome como Calvin Harris, Kesha ou a banda Rudimental.

 

Perfil da canção (Embers)

Título: Embers
Género: Pop
Idioma: Inglês
Intérprete: James Newman
Letra e música: James Newman, Conor Blake, Danny Shah, Tom Hollings, Samuel Brennan

Partilhar o artigo: