Eurovisão 2021 à Vista: O perfil dos Países Baixos e de Jeangu Macrooy

Eurovisão 2021 à Vista: O perfil dos Países Baixos e de Jeangu Macrooy

03/05/2021 0 Por Bernardo Matias

Chega a vez do anfitrião ser apresentado na rubrica Eurovisão 2021 à Vista. Os Países Baixos acolhem o Festival Eurovisão da Canção (ESC) 2021 e são representados por Jeangu Macrooy com o tema Birth of a New Age. Como anfitriões, os Países Baixos têm lugar direto na final de 22 de maio.

 

Países Baixos na Eurovisão

O conjunto de emissoras AVROTROS/NPO/NOS assegura a participação dos Países Baixos no ESC. Integrantes da edição de estreia em 1956, não demoraram a atingir o sucesso, com duas vitórias nas primeiras quatro edições – incluindo em 1957 por Corry Brokken com o tema Net als toen naquela que foi a sua segunda participação. Na terceira, um ano mais tarde, ficou… em último.

Os resultados caíram nos anos seguintes, mas em 1969 voltou a haver vitória neerlandesa, na famosa edição que terminou com quatro vencedores empatados. Lenny Kuhr interpretou De troubadour. Cinco anos mais tarde, Mouth & MacNeal ficaram em terceiro com I See a Star, naquela que foi a primeira vez que os Países Baixos não foram representados em idioma Neerlandês.

Em 1975 surgiu a quarta vitória dos Países Baixos, pelos Teach-In com Ding-a-Dong, uma das canções emblemáticas da história do ESC.

(Continua após o vídeo)

 

De então para cá, os Países Baixos têm passado  por alguns resultados geralmente modestos, sendo presença algo assídua no top dez até à entrada do século XXI, registando-se apenas quatro ausências – a mais recente em 2002. Pelo meio, de destacar participações como de Bernadette em 1983 com Sing Me a Song – primeiro tema bilingue a concurso pelos Países Baixos, em Neerlandês e Inglês; ou de Edsilia Rombley em 1998, que na sua primeira de duas participações levou o tema Hemel en aarde ao quarto lugar.

Desde 2000 até 2012 os resultados neerlandeses foram muito modestos, com apenas uma final alcançada em 2004. Mas, desde que Anouk alcançou o nono lugar de 2013 com Birds, os Países Baixos vivem nova era de sucesso. Em 2014 os The Common Linnets ficaram em segundo com o tema Calm After the Storm. A não qualificação para a final do ano seguinte foi um acidente do percurso que culminou com a vitória de Duncan Laurence Arcade em 2019.

A canção vencedora da última edição continua a granjear sucesso, sendo a primeira em cerca de 25 anos a entrar no US Billboard Hot 100. Com cinco títulos, os Países Baixos ocupam o top três de mais vitórias por país, com cinco – a par de França, Luxemburgo e Reino Unido e apenas atrás da Irlanda (sete vitórias) e da Suécia (seis vitórias).

(Continua após o vídeo)

 

Em 2021, os Países Baixos acolherão o ESC pela quinta vez – não contabilizando a edição cancelada de 2020 – sendo a primeira em Roterdão. As outras foram em Hilversum (1958), Amesterdão (1970) e Haia (1976 e 1980). Olhando para o histórico de pontuação, os Países Baixos deram mais pontos à Suécia: 272 entre semifinais e finais e 190 em finais. Por outro lado, a Bélgica foi quem mais pontuou os Países Baixos (268 pontos no conjunto de semifinais e finais e 186 pontos em finais).

Há quatro prémios Marcel Bezençon atribuídos a participações neerlandesas: o prémio Artístico de 2003 a Esther Hart e One More Night; os prémios Artístico e dos Compositores de 2014 a The Common Linnets e Calm After the Storm; e o prémio de Imprensa de 2019 a Duncan Laurence e Arcade. Já o prémio dos fãs para o pior guarda-roupa, o Barbara Dex Award, foi atribuído a Trijntje Oosterhuis, que em 2015 defendeu os Países Baixos com Walk Along.

 

O representante e a canção: Jeangu Macrooy e Birth of a New Age

Depois de ter sido escolhido para a edição cancelada do ano passado, Jeangu Macrooy voltou a merecer a confiança em 2021 e assim vai pisar o palco do ESC com o tema Birth of a New Age.

Com 27 anos de idade, Jeangu Macrooy é surinamense, tendo-se mudado para os Países Baixos apenas em 2014 quando começou a carreira. O artista, que se insere num estilo soul, mas também pop e alternativo, chegou a ter a banda Between Towers com o irmão gémeo Xillan no Suriname, lançando um álbum em 2013.

No entanto, e depois de estudar no Conservatório do Suriname, Jeangu Macrooy mudou-se para os Países Baixos estudando no ArtEZ Conservatory. Foi então que a sua carreira a solo começou, tendo assinado o seu primeiro contrato discográfico em 2015. Meses depois lançou o seu primeiro EP, Brave Enough, e o single Gold que foi usado num anúncio para a HBO.

(Continua após o vídeo)

 

Em 2017 surgiu o primeiro álbum a solo de Jeangu Macrooy, High on You, mas antes já tinha sido ‘support act’ em vários concertos no estrangeiro, além de participar em grandes festivais de música dos Países Baixos. Em dezembro de 2017 voltou ao Suriname para o primeiro concerto com a sua banda Paramaribo.

No ano passado, Jeangu Macrooy foi eleito para representar os Países Baixos no ESC 2020 e, depois do cancelamento devido à pandemia, foi reconduzido para 2021. Será, assim, o terceiro artista do Suriname a fazê-lo, depois de Humphrey Campbell em 1992 e Ruth Jacott no ano seguinte.

Para 2021, o músico concorre  com o tema Birth of a New Age, um tocante soul que fará história no ESC ao ser o primeiro com a língua franca Sranan incluído em alguns versos – sendo a canção predominantemente em Inglês. É uma canção em que Jeangu Macrooy diz ter voltado às suas raízes do Suriname, tendo várias temáticas desde as pessoas que se expressam para mudar as coisas à conquista de algo difícil.

 

Perfil do país (Países Baixos)

Emissora responsável: AVROTROS/NPO/NOS
Chefe de delegação: Emilie Sickinghe
Estreia: 1956; Corry Brokken: Voorgoedvoorbij / Jetty Paerl – De vogels van Holland
Participações anteriores: 60
Melhor resultado: Cinco vitórias (1957: Corry Brokken – Net als toen; 1959: Teddy Scholten – Een beetje; 1969: Lenny Kuhr: De troubadour; 1976: Teach-In – Ding-a-Dong; 2019: Duncan Laurence – Arcade)
Pior resultado: 21.º lugar na semifinal em 2007 (Edsilia Rombley – On Top of the World)
Anfitrião: Cinco vezes (1958, 1970, 1976, 1980 e 2020/2021)
Concurso de seleção nacional: Seleção interna
Representante em 2021: Jeangu Macrooy – Birth of a New Age

 

Perfil do representante (Jeangu Macrooy)

Nome: Jeangu Macrooy
Idade: 27 anos (nascido a 6 de novembro de 1993)
Nacionalidade: Surinamense
Início de carreira: 2011
Álbuns de estúdio: Dois (primeiro: High on You, de 2017)
Géneros: Pop, soul, alternativa
Outras notas: Jeangu Macrooy Integrou a produção de televisão neerlandesa The Passion, interpretando o papel de Judas.

 

Perfil da canção (Birth of a New Age)

Título: Birth of a New Age
Género: Soul
Idioma: Inglês
Intérprete: Jeangu Macrooy
Letra e música: Jeangu Macrooy, Pieter Perquin

Partilhar o artigo: