EXCLUSIVO/Entrevista a Marius Bear: “É uma canção para a audiência, não para mostrar a minha voz”
Suíça - Marius Bear/Boys Do Cry
Créditos da imagem: EBU / Nathan Reinds

EXCLUSIVO/Entrevista a Marius Bear: “É uma canção para a audiência, não para mostrar a minha voz”

10/05/2022 0 Por Bernardo Matias

Em mais um rigoroso exclusivo, o site e-FestivalPT entrevistou Marius Bear: o representante da Suíça no Festival Eurovisão da Canção (ESC) 2022 com o tema Boys Do Cry.

Nesta conversa, que decorreu logo após os ensaios individuais, falámos do conceito do «staging», das mensagens e sentidos da canção, das suas sensações perante a experiência no ESC e não só.

Tudo a ler na entrevista que se segue, em que pode conhecer melhor Marius Bear e Boys Do Cry.

 

e-FestivalPT (e-FPT): Como está a viver esta experiência na Eurovisão?
Marius Bear (MB): “É muito empolgante. […]. Estamos em Turim há alguns dias e já cantei tanto e já foi tão arrebatador, estar neste palco e ter aqueles ensaios, e a cada dia ficar mais perto da Eurovisão”.

e-FPT: Como se sente depois dos ensaios?
MB: “Estou muito contente. Fizemos um bom segundo ensaio. Ainda temos algum trabalho para fazer na iluminação porque é um trabalho complicado com este «Sol Cinético», perceber todas as câmaras e ângulos certos. Mas estamos a chegar lá. Penso que estaremos preparados. Acho que na luz e também a minha prestação pode melhor. Acho que podemos subir mais 30 por cento”.

e-FPT: Pode contar-nos sobre o conceito do seu «staging»?
MB: “O conceito do meu «staging» e de toda a minha atuação é que deve estar em contraponto com todos os outros. Porque Boys Do Cry não é uma canção de mostrar a tua voz, ou de «oh, que bonito, posso dançar», ou quão bom aspeto tenho. Tem a ver com criar um estado de espírito para a audiência e trazer esta emoção de Boys Do Cry, esta sensação calorosa de Walt Disney direta à vossa sala de estar. E é também uma atuação muito diferente para mim, porque penso que é muito mais difícil ter todas essas pequenas coisas, juntá-las, para a emoção saltar mesmo da câmara para as salas de estar”.

e-FPT: Qual a mensagem e significados de Boys Do Cry?
MB: “A mensagem de Boys Do Cry tem a ver com mostrar emoção, ser um homem emocional, e celebro-o mesmo, ser eu mesmo. É uma mensagem bem fácil, mas na qual ainda temos de trabalhar para nos encontrarmos. E é sobre não ter uma cortina emocional à tua frente, ir direto às pessoas e seres simplesmente quem és”.

e-FPT: Já teve oportunidade de conhecer algo da cidade de Turim?
MB: “Sim, visitei alguns espaços bonitos. […]. Infelizmente o tempo não está muito bom, está chuvoso”.

e-FPT: Está a trabalhar com a encenadora Sacha Jean-Baptiste. Como é trabalhar com alguém tão experiente na Eurovisão?
MB: “Penso que é muito interessante. Tenho um enorme respeito por ela porque é uma pessoa muito criativa e, para ser honesto, nunca conheci alguém que me entenda tão bem e que entenda a mensagem de Boys Do Cry. E também tem uma mentalidade tão criativa. Acho que é algo muito bonito e é divertido trabalhar com ela, e também ver o quão rápido ela compreende aquelas câmaras. É de loucos. Estou mesmo grato por ela”.

e-FPT: O trabalho com Sacha Jean-Baptiste é uma experiência importante para a sua carreira? 
MB: “Sim, decididamente. Porque já aprendi tanto. Coisas pequenas na preparação, como trabalho à frente das câmaras, qual é a forma de vestir diante da câmara. Há tantas pequenas coisas que posso aprender muito com ela. É também por isso que também tento passar muito tempo com ela. Claro que ela está ocupada, mas é ótima”.

e-FPT: Por último, esta é a sua entrevista, por isso tem agora todo o tempo para enviar uma mensagem que queira ao público e aos seus fãs.
MB: “A minha mensagem para o público é… muito obrigado por todo o vosso apoio e espero ser bem-sucedido na Eurovisão, conseguir criar este estado de espírito. Se ouvirem a canção, deitem-se no sofá, bebam um copo de vinho e oiçam a canção, deixem-na simplesmente entrar. Penso que é o mais importante, porque é uma canção para a audiência, não para mostrar a minha voz”.

Partilhar o artigo: