Jamala e a retirada da Eurovisão 2023 à Ucrânia: “É muito doloroso tirarem-nos esta esperança”
Créditos da imagem: Andres Putting (EBU)

Jamala e a retirada da Eurovisão 2023 à Ucrânia: “É muito doloroso tirarem-nos esta esperança”

21/06/2022 0 Por Bernardo Matias

Na passada sexta-feira, a União Europeia de Radiodifusão (EBU) anunciou que a Ucrânia não reúne condições para acolher o Festival Eurovisão da Canção (ESC) 2023 apesar da vitória deste ano, devido à guerra no país.

Uma decisão já criticada por parte do próprio governo do país, mas agora também por Jamala. A cantora que ganhou o ESC 2016 pela Ucrânia disse no evento Eurorainbow em Espanha, citada pela RTVE, que esta decisão vem mostrar dúvidas quanto a um fim rápido do conflito armado:

– O Festival Eurovisão deve ter lugar num país em que não existam ameaças para os seus participantes e espectadores, mas ao tirar-nos este direito a União Europeia de Radiodifusão expressou dúvidas sobre se haverá paz na Ucrânia até ao próximo ano”.

A artista assumiu que é doloroso que a esperança seja assim tirada e deixou um apelo: “Como ucraniana, posso dizer que é muito doloroso tirarem-nos esta esperança sem sequer nos dar uma oportunidade. É muito difícil de perceber, mas não nos tirem a esperança. Espero que o possamos fazer. Espero que possamos acabar com esta horrível guerra e, claro, é muito difícil sem a vossa ajuda, sem o vosso apoio”.

Partilhar o artigo: