Jorge Mangorrinha acredita que Conan Osíris pode dar vitória ou um dos melhores resultados de sempre no ESC
Créditos da imagem: RTP-Pedro Pina

Jorge Mangorrinha acredita que Conan Osíris pode dar vitória ou um dos melhores resultados de sempre no ESC

24/03/2019 0 Por Bernardo Matias

Jorge Mangorrinha acredita nas possibilidades de Conan Osíris conquistar a segunda vitória de Portugal no Festival Eurovisão da Canção (ESC) na edição deste ano. O investigador considera que o artista tem características que fazem a estranheza inicial transformar-se em adesão, bem como uma assinatura própria.

Em declarações à Lusa, Jorge Mangorrinha sustenta que musicalmente Conan Osíris apresenta “um mix de fado, gipsy, arábico, dança, bem como uma história com grande simplicidade de meios, mas eficaz”, defendendo um tema (Telemóveis) que não sendo “obra-prima literária nem musical, do ponto de vista da construção clássica de uma canção” possui “uma originalidade, uma espécie de despertar de consciências”.

O estudioso considera que estes grupos de fãs têm “mentes abertas à novidade e ao arrojo” e são os que “constroem a opinião internacional”. Nesse particular, comenta Mangorrinha, Conan Osíris destaca-se sendo “uma raridade” e tendo uma “estética musical e essencialmente performativa próprias”. Por esta via, diz o co-autor do livro Portugal 12 pts, a “estranheza inicial” acaba por se tornar em “adesão”.

Por outro lado, Jorge Mangorrinha classifica Conan Osíris de “génio, que com simplicidade faz muito” e que pode “criar sentimentos antagónicos de crítica feroz ou entusiasmo”, tendo de qualquer forma uma “assinatura própria […] que faz futuro” no que às artes diz respeito. Assim sendo, o académico acredita que “Portugal arrisque uma segunda vitória” ou “uma das melhores posições de sempre” no ESC.

De recordar que além da vitória de Salvador Sobral em 2017, o segundo melhor resultado de Portugal na Eurovisão remonta a 1996, quando Lúcia Moniz com a canção O Meu Coração Não Tem Cor conquistou o sexto lugar.

Partilhar o artigo: