Road to Eurovision’19: O perfil de Israel e de Kobi Marimi
Créditos da imagem: AK Rockefeller/Flickr

Road to Eurovision’19: O perfil de Israel e de Kobi Marimi

15/05/2019 0 Por Bernardo Matias

Seguimos nos últimos países da rubrica Road to Eurovision’19 com o anfitrião do Festival Eurovisão da Canção (ESC) deste ano, Israel. A competir em casa e a defender o resultado do ano passado, é representado por Kobi Marimi que interpreta uma canção com um título apropriado para a ocasião: Home.

A estreia de Israel no ESC aconteceu em 1973 com um promissor quarto lugar de Ilanit com a canção Ey Sham. A primeira vitória não demorou muito, chegando logo em 1978 com Izhar Cohen & the Alphabeta a cantarem um dos temas que mais marcou o certame: A-Ba-Ni-Bi. No ano seguinte, novo título israelita com Gali Atari & Miki and Honey e a canção Hallelujah. Em 1980, Israel tornou-se o único país vencedor do ano anterior a abdicar da participação, uma vez que a data coincidiu com o Dia da Memória. Antes, já tinha declinado ser anfitrião por motivos financeiros.

Em 1982 e 1983, o país conseguiu mais dois segundos lugares, ao passo que em 1985 Izhar Cohen voltou para ficar em quinto com Olé, Olé. Presença regular no top dez, Israel ficou novamente no pódio (em terceiro) com o Duo Datz e a canção Kan em 1991, sendo que depois de duas ausências e uma eliminação na pré-qualificação em meados dos anos 1990, voltou a ganhar em 1998 com Dana International e o tema Diva que também ficou marcado na história do ESC.

A competir em casa em 1999, Israel apostou pela primeira vez no idioma Inglês juntando-o ao Hebraico na faixa Yom Huledet (Happy Birthday) cantado pela banda Eden rumo ao quinto lugar final. Depois disso, houve um período menos positivo de participações israelitas: de 2000 a 2018 registaram-se apenas sete top 15 (e quatro top dez), com o país a falhar a final por seis vezes – incluindo em 2011 no regresso de Dana International com Ding Dong. No ano passado, Netta convenceu a Europa com a sua controversa canção Toy e assim deu a quarta vitória a Israel um ano depois de a continuidade ter estado em risco devido ao colapso da então emissora responsável IBA.

Agora, a participação de Israel está a cargo da KAN. Ao longo dos anos, a Suécia foi o país que mais pontos recebeu de Israel, num total de 202 entre semifinais e finais. Já França foi quem mais pontuou as participações israelitas, com 240 pontos ao longo da história.

A representação de Israel em Tel Aviv está a cargo de Kobi Marimi. Aos 27 anos, tem pouca experiência musical profissional, que começou a adquirir apenas com a participação no Rising Star de Israel 2018/2019, que definiu o participante do país na Eurovisão deste ano. Isso não o impediu de dar nas vistas ao ponto de ganhar o concurso e garantir a vaga no evento internacional. Antes, esteve sobretudo focado na representação, tendo formação nessa área e um prémio de Promessa do Ano conquistado no Festival de Teatro Musical de Israel. Kobi Marimi apresenta no ESC a balada Home.

Israel:

  • Estreia: 1973 – Ilanit, Ey Sham (Resultado: 4.º lugar)
  • Participações anteriores: 41
  • Melhor resultado: Quatro vitórias
    • 1978: Izhar Cohen & the Alphabeta, A-Ba-Ni-Bi
    • 1979: Gali Atari & Milk and Honey, Hallelujha
    • 1998: Dana International, Diva
    • 2018: Netta, Toy
  • Pior resultado: 24.º lugar na semifinal de 2007 (Teapacks, Push the Button)
  • Concurso de seleção nacional: HaKokhav HaBa L’Eurovizion (intérprete); seleção interna (canção)
  • Anfitrião: Três vezes (1979 e 1999: Jerusalém; 2019: Tel Aviv)
  • Emissora responsável: KAN
  • Representante em 2019: Kobi Marimi, Home

Kobi Marimi:

  • Idade: 27 anos (nascido a 8 de outubro de 1991)
  • Nome civil: Kobi Marimi
  • Nacionalidade: Israelita
  • Início de carreira: 2018
  • Singles: 1 (Home, 2019)

Home:

  • Géneros: Folk
  • Idiomas: Inglês
  • Intérprete: Kobi Marimi
  • Letra: Inbar Wizman, Ohad Shragai
  • Composição: Inbar Wizman, Ohad Shragai

Partilhar o artigo: