Todos os caminhos vão dar a Turim: Sérvia e Konstrakta

Todos os caminhos vão dar a Turim: Sérvia e Konstrakta

08/05/2022 0 Por Bernardo Matias

Na antepenúltima parte de «Todos os caminhos vão dar a Turim» apresentamos mais um dos países concorrentes no Festival Eurovisão da Canção (ESC) 2022.

Sérvia é representada este ano por Konstrakta com a canção In Corpore Sano, que tem uma parte da letra que faz o Latim voltar ao palco do certame.

 

A Sérvia na Eurovisão em 10 pontos

  • Enquanto Jugoslávia: A Sérvia foi um dos países da antiga Jugoslávia, que competiu no ESC de 1961 a 1992 conseguindo a vitória de 1989 como melhor resultado. Por seis vezes artistas sérvios representaram a Jugoslávia (incluindo nos últimos dois anos jugoslavos em 1991 e 1992).
  • Sérvia e Montenegro: Antes de ser o país que é hoje, a Sérvia esteve junta com Montenegro (Sérvia e Montenegro), e esta união de Estados participou em 2004 e 2005. No primeiro ano ficou em segundo lugar. Sérvia e Montenegro ainda esteve inscrita e selecionou um representante para 2006, mas uma polémica interna levou à desistência.
  • Estreia com vitória: Como o país na sua forma atual, a Sérvia competiu no ESC pela primeira vez em 2007 e conseguiu logo ganhar com Marija Šerifović e a canção Molitva.
  • Feito quase ímpar: Ao estrear-se com uma vitória, a Sérvia igualou a Suíça como o único país a ganhar na estreia no ESC. Importa ressalvar que no caso helvético, isso aconteceu em 1956, na edição inaugural em que a vitória seria sempre de um estreante.
  • Presença constante nas finais: O sucesso sérvio na estreia não foi esporádico. O país apurou-se praticamente sempre para a final, falhando-a em apenas três ocasiões. Ainda assim, só conseguiu mais um pódio quando Željko Joksimović foi terceiro em 2012.
  • Pior resultado: O pior resultado da Sérvia remonta a 2013, com o 11.º lugar de Moje 3 e da canção Ljubav je svuda. O mesmo posicionamento repetiu-se em 2017, mas nessa ocasião com uma maior pontuação.
  • Sérvio em maioria: Um dos países mais fiéis ao seu próprio idioma é a Sérvia: só por três vezes (entre 2015 e 2017) as canções não tiveram a letra em Sérvio.
  • Prémio Marcel Bezençon: No ano da vitória sérvia em 2007, Marija Šerifović e a canção Molitva receberam também o Prémio Marcel Bezençon Artístico.
  • Prémios Barbara Dex: O infame Prémio Barbara Dex para a indumentária mais peculiar parou nas mãos dos representantes da Sérvia em duas ocasiões: Milan Stanković (2010) e Moje 3 (2013).
  • Nova seleção nacional: Este ano, estreou um novo formato de seleção nacional na Sérvia: o Pesma za Evroviziju, que é a quinta designação diferente.

 

Perfil do país (Sérvia)

Emissora responsável: RTS
Chefe de delegação: Sem informação
Estreia: 2007; Marija Šerifović – Molitva (resultado: vitória)
Participações anteriores: 13
Melhor resultado: Vitória (2007: Marija Šerifović – Molitva)
Pior resultado: 11.º lugar na semifinal com 46 pontos em 2011 (Moje 3 – Ljubav je svuda)
Anfitriã: Uma vez (2008)
Concurso de seleção nacional: Pesma za Evroviziju
Representantes em 2022: Konstrakta – In Corpore Sano
Semifinal em 2022: 3.º a atuar na segunda semifinal (12 de maio)

 

Perfil da representante (Konstrakta)

Nome: Ana Đurić (Konstrakta)
Idade: 43 anos (nascida a 12 de outubro de 1978)
Início de carreira: 1997
Álbuns de estúdio: 0 (primeiro single: Žvake, de 2019)
Géneros: Pop (vários sub-géneros)
Outras notas: O início de carreira de Konstrakta foi em grupo com a banda Mistakemistake e notabilizou-se como vocalista do Zemlja gruva! que chegou a concorrer à seleção sérvia para o ESC em 2008 e em 2009. A mesma banda abriu o último concerto de Amy Winehouse em 2011. A estreia a solo de Konstrakta aconteceu só em 2019. A artista é formada pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Belgrado.

 

Perfil da canção (In Corpore Sano)

Título: In Corpore Sano
Género: Art pop
Idioma: Sérvio e Latim
Intérprete: Konstrakta
Letra: Ana Đurić
Composição: Ana Đurić e Milovan Bošković

Partilhar o artigo: