Todos os caminhos vão dar a Turim: Suécia e Cornelia Jakobs

Todos os caminhos vão dar a Turim: Suécia e Cornelia Jakobs

08/05/2022 0 Por Bernardo Matias

A rubrica «Todos os caminhos vão dar a Turim» volta ao norte da Europa, para apresentar um dos países de maior sucesso no Festival Eurovisão da Canção (ESC) e que compete, naturalmente, em 2022.

Falamos da Suécia, que se perfila novamente como uma das principais candidatas aos lugares cimeiros representada por Cornelia Jakobs com o tema Hold Me Closer.

 

A Suécia na Eurovisão em 10 pontos

  • Estreia em 1958: A primeira participação da Suécia no ESC remonta à terceira edição em 1958, com o quarto lugar de Alice Babs e da canção Lilla stjärna.
  • Quase recordista: A Suécia tem um total de seis vitórias no ESC, num percurso vitorioso que começou em 1974 com os míticos ABBA e a canção Waterloo. Com o próximo triunfo, o país pode igualar o recorde de sete possuído pela Irlanda.
  • Últimos lugares… e «nul points»: Apesar do seu histórico de sucesso, a Suécia também esteve no polo oposto, terminando em último por duas vezes – incluindo em 1963 sem somar qualquer ponto quando foi representada por Monica Zetterlund e pela canção En gång i Stockholm.
  • Regresso de sucesso: Carola participou no ESC pela Suécia pela primeira vez em 1983 sendo terceira classificada. Voltaria em 1991 para vencer com a canção Fångad av en stormvind. Em 2006 voltou a somar um forte resultado, desta feita com o quinto lugar.
  • Êxitos: Waterloo, dos ABBA, é uma das canções mais emblemáticas do ESC (venceu o evento comemorativo dos 50 anos inclusive), ganhando muita popularidade mesmo fora da esfera do certame. Mas há muitos mais êxitos suecos, como If I Were Sorry de Frans em 2016, Heroes de Måns Zelmerlöw em 2015 e, claro, Euphoria de Loreen em 2012… que mesmo uma década depois continua a liderar o ESC Top 250 ano após ano.
  • Pior resultado: Desde a introdução das semifinais, a Suécia só não se qualificou em 2010, com Anna Bergendahl e a canção This Is My Life. Este fica para a história como o pior resultado sueco até aos dias de hoje.
  • Vitória no último ESC em Itália: Este ano o ESC é em Itália. Da última vez que tal aconteceu, a Suécia ganhou na edição de 1991, que teve grande emoção com os dois primeiros classificados a terminarem empatados pontualmente.
  • Prémios Marcel Bezençon: São diversos os Prémios Marcel Bezençon arrebatados por canções suecas. O Prémio Artístico foi atribuído em 2002 (Afro-dite, Never Let It Go), 2006 (Carola, Invincible), 2012 (Loreen, Euphoria) e em 2015 (Måns Zelmerlöw, Heroes). Já o Prémio Compositores foi conquistado pela Suécia em 2012 e em 2013 (Robin Stjernberg, You).
  • Quatro vitórias OGAE: Por quatro vezes as canções suecas foram as preferidas dos fãs associados nas OGAE: Hero de Charlotte Perrelli em 2008, Euphoria de Loreen em 2012, Undo de Sanna Nielsen em 2014 e Hold Me Closer de Cornelia Jakobs este ano.
  • Melodifestivalen: O Melodifestivalen é um dos mais populares certames de seleção nacional para o ESC, e é usado consecutivamente desde que a Suécia regressou em 1977 – na sequência da terceira e última ausência, datada de 1976.

 

Perfil do país (Suécia)

Emissora responsável: SVT
Chefe de delegação: Lotta Furebäck
Estreia: 1958; Alice Babs – Lilla stjärna (resultado: quarto lugar)
Participações anteriores: 59
Melhor resultado: Seis vitórias (1974: ABBA – Waterloo ; 1984: Herreys – Diggi-Loo Diggi-Ley ; 1991: Carola – Fångad av en stormvind ; 1999: Charlotte Nilsson – Take Me to Your Heaven ; 2012: Euphoria ; 2015: Måns Zelmerlöw – Heroes)
Pior resultado: 12.º lugar na semifinal em 2008 (Charlotte Perrelli – Hero)
Anfitriã: Seis vezes (1975, 1985, 1992, 2000, 2013 e 2016)
Concurso de seleção nacional: Melodifestivalen
Representantes em 2022: Cornelia Jakobs – Hold Me Closer
Semifinal em 2022: 17.º a atuar na segunda semifinal (12 de maio)

 

Perfil da representante (Cornelia Jakobs)

Nome: Anna Cornelia Jakobsdotter Samuelsson (Cornelia Jakobs)
Idade: 30 anos (nascida a 09 de março de 1992)
Início de carreira: 2010
Álbuns de estúdio: 0 (primeiro single: Late Night Stories, de 2018)
Géneros: Pop
Outras notas: Antes do seu percurso a solo, Cornelia Jakobs integrou a banda Love Generation que concorreu ao Melodifestivalen em 2011 e 2012. A filha de Jakob Samuel, dos The Poodles, lançou-se depois a solo em 2018, com o seu primeiro single, Late Night Stories. O seu tema Weight of the World integrou a banda sonora da série Björnstad da HBO Nordic. Em 2021 foi compositora do tema Best of Me, com o qual Efraim Leo competiu no Melodifestivalen.

 

Perfil da canção (Hold Me Closer)

Título: Hold Me Closer
Género: Pop
Idioma: Inglês
Intérprete: Cornelia Jakobs
Letra e composição: Cornelia Jakobs, David Zandén e Isa Molin

Partilhar o artigo: