Emissora da Roménia ameaça retirada da Eurovisão devido à polémica das votações
Créditos da imagem: EBU/Sarah Louise Bennett

Emissora da Roménia ameaça retirada da Eurovisão devido à polémica das votações

20/05/2022 1 Por Bernardo Matias

Depois de a União Europeia de Radiodifusão (EBU) emitir uma nota de esclarecimento sobre as pretensas votações com padrão irregular na segunda semifinal do Festival Eurovisão da Canção (ESC) 2022, uma das emissoras visadas – a TVR, da Roménia – reagiu e até ameaça desistir do certame.

Em comunicado, os romenos deixaram bem claro: “Depois da situação criada e dos danos na imagem trazidos à televisão pública, a TVR considera a retirada da Roménia de futuras edições da Eurovisão e ação em tribunal dos organizadores do evento”.

A TVR está a investigar as alegações da EBU, mas discorda da forma como esta geriu a situação gerada pelos votos expressados pelos júris nacionais, durante as semifinais e a final da Eurovisão 2022. Consideramos inaceitável o comportamento da EBU, que aplicou um padrão duplo no caso de grupos de países cujos votos foram divididos de uma forma que levanta suspeitas.

No entender da TVR, os votos de substituição foram conseguidos através de um algoritmo que não é transparente e “levanta suspeitas”, enquanto outros não tiveram quaisquer sanções e desta forma ainda receberam pontos adicionais. Considera a emissora romena que “o impacto destas suspeitas na competição e na reputação das televisões sancionadas podia ter sido completamente eliminado se a EBU tivesse comunicado as suas preocupações às partes envolvidas assim que foram observadas” – no jury show da segunda semifinal a 11 de maio.

Segundo a TVR, se tal tivesse acontecido, teria existido tempo para reagir e corrigir a situação, sendo possível eliminar qualquer suspeita antes da gala ao vivo. Para a entidade da Roménia, a organização não a tratou como uma verdadeira parceira, tendo enviado a informação relevante só volvidos sete dias. A TVR garante agora que vai colaborar com as outras cinco emissoras visadas no sentido de apurar se houve uma tentativa de fraude nos resultados alegadamente irregulares.

Mais: assegura a TVR que há mecanismo de prevenção e controlo, como o envio de supervisores à votação, o que aconteceu sendo que esses observadores terão concluído que não existiu qualquer anormalidade no processo. A emissora da Roménia diz-se alvo de uma “atitude incompreensível”, para mais com aquela que considera ser uma mentira durante a emissão da grande final com a alegação de problemas técnicos que não existiram para não apresentar a porta-voz do júri nacional – o que terá acontecido devido à recusa de apresentar a pontuação gerada pela EBU. Com tudo isto, a TVR admite vir a retirar-se da Eurovisão e até acionar mecanismos judiciais.

Partilhar o artigo: